• (11) 3079-6048
  • (11) 3079-6319
  • (11) 99565-9595

ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE PICADAS DE CARRAPATOS >> DOENÇA DE LYME.

01. - A DOENÇA DE LYME OU BORRELIOSE DE LYME É UMA ANTROPOZOONOSE EMERGENTE CAUSADA PELA BORRELIA BURGDORFERI SENSO LATO E TRANSMITIDA PELA PICADA DE CARRAPATOS IXODÍDEOS;

02. - APESAR DE PRESENTE NO BRASIL, A DOENÇA DE LYME AINDA É POUCO CONHECIDA E DIAGNOSTICADA;

03. - DO PONTO DE VISTA EPIDEMIOLÓGICO, A DOENÇA EXISTE EM TODO O TERRITÓRIO NACIONAL; É ADQUIRIDA EM ÁREAS COM EXISTÊNCIA DE MATAS E ANIMAIS SILVESTRES (RESERVATÓRIOS). ANIMAIS DOMÉSTICOS ATUAM COMO TRANSPORTADORES DE CARRAPATOS PARA O AMBIENTE DOMICILIAR E O VETOR TRANSMISSOR PROVÁVEL AO HOMEM NO BRASIL É O AMBLYOMMA CAJENNENSE;

04. - A DOENÇA DE LYME EVOLUI EM ESTÁGIOS; O ASPECTO DISTINTIVO NA FASE INICIAL É A LESÃO DE PELE DENOMINADA ERITEMA MIGRATÓRIO E NAS RECIDIVAS CLÍNICAS, OBSERVAM - SE LESÕES CUTÂNEAS SECUNDÁRIAS E/OU COMPLICAÇÕES SISTÊMICAS ARTICULARES, CARDÍACAS E/OU NEUROLÓGICAS;

05. - O DIAGNÓSTICO DA BORRELIOSE BASEIA - SE NA PRESENÇA DOS SINTOMAS CLÍNICOS, HISTÓRIA EPIDEMIOLÓGICA COMPATÍVEL E SOROLOGIA POSITIVA PARA BORRELIA BURGDORFERI;

06. - O AGENTE ETIOLÓGICO NO BRASIL AINDA NÃO FOI ISOLADO, MAS AS MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS SÃO SEMELHANTES ÀS OBSERVADAS NOS ESTADOS UNIDOS E EUROPA, INCLUINDO A PRESENÇA DE ERITEMA MIGRATÓRIO E AS COMPLICAÇÕES ÓSTEO - ARTICULARES E NEUROLÓGICAS, AMBAS COM FREQÜÊNCIAS APROXIMAS E SEMELHANTES (30 % DOS CASOS);

07. - A ENFERMIDADE É RARAMENTE FATAL, PORÉM DE GRANDE MORBIDADE SE NÃO DIAGNOSTICADA E TRATADA COM ANTIBIÓTICOS POTENTES E ANTIINFLAMATÓRIOS, DEVIDO ÀS RECORRÊNCIAS E COMPLICAÇÕES CLÍNICAS PROGRESSIVAS, MOTIVOS PELOS QUAIS ESTA DOENÇA DEVE SER DE CONHECIMENTO NÃO SÓ DA CLASSE MÉDICA, MAS TAMBÉM DAS PESSOAS LEIGAS EM GERAL, QUE SE AVENTURAM EM MATAS E FLORESTAS, E QUE MANTENHAM CONTATO CONSTANTE COM ANIMAIS DE PERIFERIAS;

08. - DEVIDO ÀS PARTICULARIDADES DO AGENTE ETIOLÓGICO NO BRASIL, QUE É DIFERENTE DOS CONHECIDOS EM OUTROS CONTINENTES, A ENFERMIDADE DEVERIA SER CHAMADA DE DOENÇA DE LYME - SÍMILE NO BRASIL;

09. - A MOLÉSTIA GERALMENTE INICIA - SE COM SURGIMENTO DE LESÕES DE PELE, DENOMINADA ERITEMA MIGRATÓRIO (EM), QUE DESENVOLVE - SE NO SÍTIO DA PICADA DO CARRAPATO; APÓS SEMANAS OU MESES, NO ESTÁGIO SECUNDÁRIO, OUTRAS MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS PODEM APARECER, INCLUINDO QUEIXAS ÓSTEOARTICULARES, NEUROLÓGICAS E/OU CARDÍACAS, QUE PODEM CURSAR COM RECIDIVAS NAQUELES PACIENTES QUE NÃO TIVERAM DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO PRECOCES DA DOENÇA; NO BRASIL, OS PRIMEIROS CASOS DE BORRELIOSE FORAM DESCOBERTOS EM 1.992, EM IRMÃOS QUE CONTRAIRAM A DOENÇA EM ITAPEVI, INTERIOR DE SÃO PAULO, E FICARAM INTERNADOS NO INSTITUTO EMÍLIO RIBAS, COM HISTÓRIAS DE FEBRE, ERITEMA MIGRATÓRIO E ARTRITE, COM CONFIRMAÇÃO SOROLÓGICA POSITIVA PARA BORRELIA BURGDORFERI, REALIZADA NO LABORATÓRIO DE INVESTIGAÇÃO EM REUMATOLOGIA DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO; DESDE ENTÃO, HOUVE IDENTIFICAÇÃO DE NOVOS CASOS CLÍNICOS, COM A PRESENÇA DO ERITEMA MIGRATÓRIO E COMPLICAÇÕES CLÍNICAS E SISTÊMICAS SEMELHANTES AO OBSERVADO NOS ESTADOS UNIDOS E EUROPA; CONTUDO O DIAGNÓSTICO NEM SEMPRE É FÁCIL NAS SITUAÇÕES EM QUE O ERITEMA MIGRATÓRIO, QUE É O ASPECTO CLÍNICO DISTINTIVO DA DOENÇA ESTÁ AUSENTE, OU QUANDO A DOENÇA MANIFESTA - SE TARDIAMENTE APÓS O CONTÁGIO INICIAL INAPARENTE, NA FORMA DE COMPLICAÇÃO ARTICULAR, NEUROLÓGICA OU CARDÍACA, MOTIVOS PELOS QUAIS A DOENÇA DE LYME É CONHECIDA COMO DOENÇA CAMALEÃO; O ÚLTIMO LEVANTAMENTO DA CASUÍSTICA BRASILEIRA MOSTRA A DESCRIÇÃO DE 73 CASOS DIAGNOSTICADOS NO PAÍS, INCLUINDO 16 OBSERVADOS NO MATO GROSSO DO SUL, COM AUMENTO CONSIDERÁVEL DE CASOS, TORNANDO - A, ATUALMENTE, UMA ZOONOSE EMERGENTE DE INTERESSE MULTIDICIPLINAR; OS PACIENTES ADQUIREM A DOENÇA, VISITANDO ÁREAS COM VEGETAÇÃO PRESERVADA E EXISTÊNCIA DE ANIMAIS SILVESTRES, INCLUINDO REGIÕES LITORÂNEAS OU ZONAS RURAIS, SENDO QUE 50 % DOS PACIENTES LEMBRAM - SE DE PICADAS OU DE TEREM TIDO CONTATO COM CARRAPATOS; ALGUNS INDIVÍDUOS COMO VETERINÁRIOS, GEÓLOGOS, BOTÂNICOS, PESCADORES E FREQÜENTADORES DE TRILHAS, TÊM MAIOR PREDISPOSIÇÃO PARA CONTRAIR A INFECÇÃO; NO BRASIL, PESQUISAS DE CAMPO REALIZADAS EM ÁREAS DE RISCO, MOSTRARAM QUE GAMBÁS E ROEDORES SILVESTRES PARTICIPAM COMO ANIMAIS RESERVATÓRIOS, CONTRIBUINDO NA MANUTENÇÃO DA DOENÇA NA NATUREZA, ENQUANTO OS CARRAPATOS DAS ESPÉCIES IXODES LORICATUS, IXODES DIDELPHIDIS E AMBLYOMMA CAJENNENSE SERIAM OS VETORES RESPONSÁVEIS PELA TRANSMISSÃO DA ZOONOSE ENTRE OS ANIMAIS SILVESTRES E AO HOMEM; AS FORMAS IMATURAS DE CARRAPATOS, ESPECIALMENTE AS NINFAS, DE TAMANHO DIMINUTO, SÃO OS PRINCIPAIS RESPONSÁVEIS PELA INFECÇÃO, RAZÃO PELA QUAL NEM TODOS OS PACIENTES RECORDAM - SE DE PICADAS; ANIMAIS DOMÉSTICOS, ALÉM DE CONTRAÍREM A INFECÇÃO, ATUAM COMO TRANSPORTADORES SDE VETORES PARA O AMBIENTE PERIDOMICILIAR.

10. - CONCLUSÃO FINAL:

A) QUANDO HOUVER PASSEIOS EM MATAS OU FLORESTAS PERIFÉRICAS (ILHA DO CARDOSO), USAR BOTAS (DE PREFERÊNCIA CANO ALTO), POIS NA FASE LARVAL OU NINFA, OS CARRAPATOS ESTÃO NA PRÓPRIA GRAMA (GERAL);

B) EVITAR TOCAR EM GRAMAS E/OU ANIMAIS (QUALQUER TIPO) DO AMBIENTE;

C) NA VOLTA DO PASSEIO, COM LUVAS DE BORRACHA, LAVAR BEM AS BOTAS COM SABÃO DE CÔCO E DEIXAR SECAR AO SOL, ISOLANDO - AS;

D) NA VOLTA DO PASSEIO, VERIFICAR E INVESTIGAR BEM, POSSÍVEIS CARRAPATOS, EM TODAS AS ROUPAS USADAS (PRINCIPALMENTE MEIAS E CALÇAS), LAVANDO - AS COM SABÃO DE CÔCO, DEIXANDO - AS SECAR AO SOL E ISOLANDO - AS;

E) NA VOLTA DO PASSEIO, TOMAR UM BOM BANHO (INCLUSIVE CABELOS), COM SABONETE DE CÔCO GLICERINADO, OBSERVANDO E INVESTIGANDO POSSÍVEIS CARRAPADOS NA PELE E/OU CABELOS (OBSERVAÇÃO: PARA CONTAMINAR A PESSOA, O CARRAPATO TEM QUE ESTAR TAMBÉM CONTAMINADO COM A BACTÉRIA (ESPIROQUETA) E PERMANECER EM CONTATO COM A PELE, POR PELO MENOS 24 HORAS);

F) EM RELAÇÃO À ESTUDANTE MARCELLA KUCHKARIAN MARKOCIAN (7 ª SÉRIE / RG: 37.622.273-6), O EXAME ELISA WESTENBLOT IGM PARA PESQUISA DA BORRELIA BURGDORFERI, DEU POSITIVO (03 / 03 / 2.004);

G) NÃO HÁ NENHUMA MEDICAÇÃO PREVENTIVA (LOCAL, ORAL OU INJETÁVEL).

SEM MAIS A ESCLARECER, ESTAMOS À VOSSA INTEIRA DISPOSIÇÃO.

SÃO PAULO - CAPITAL - DATA : 20 / 10 / 2.006.

DR. WASSEN ZAFER MEKARI.
C. R. M.: 29.817 ( SÃO PAULO – S. P. )
M. Tb.: 12.758 ( BRASÍLIA – D. F. )

Voltar

Solicite um Orçamento